Rosângela Rennó






O universo fotográfico se amplia a cada dia e alguns fotógrafos se afastam do prazer do ato de fotografar acreditndo que o trabalho fotográfico depende mais de construir do que encontrar uma imagem. Rosângela Rennó, amplia este vasto mundo de visibilidades fotográficas.

Série Vermelha:
A artista mineira Rosângela Rennó (1962), trabalha com a imagem fotográfica baseada na história da fotografia, editando fotografias antigas publicadas em jornais, álbuns de família, arquivos fotográficos, negativos de retratos 3X4 de estúdios populares e lambe-lambes. O seu interesse é tratar a imagem fotográfica e seus desdobramentos, inclusive narrativos, trabalhando a resignificação de imagens preexistentes, sem realizar novas fotografias. Em suas fotografias, objetos, vídeos e instalações, a artista aborda discussões acerca da natureza da imagem e sua relação com o tempo e a memória.

"Os trabalhos de grande formato - trata-se de imagens digitais sobre papel fotográfico - não desvendam de modo imediato seu motivo, que se indica de forma apenas vaga por trás de uma superfície da cor do sangue. O observador dá um passo para o lado, dois para trás e novamente um para frente, à procura do melhor posicionamento diante das obras, sendo que o ângulo de incidência da luz também tem sua importância. (...)
Tudo leva a crer que a artista quer levantar, por um instante, o véu do esquecimento, que há muito tempo cobriu esse cenário fantasmagórico. Aparecem oficiais imponentes, em poses airstocráticas, cabos esfarrapados e até mesmo soldados juvenis, que entrementes lutam na mais cruel de todas as guerras, não apenas no Congo, mas também nos exércitos de crime organizado das metrópoles sul-americanas, onde as guerras entre quadrilhas causam, há tempos, muito mais vítimas do que os conflitos armados do Oriente Médio." (...)
Na medida em que Rennó sobrepõe diversas camadas de cores geradas mediante um complexo processo digital, as suas obras ganham uma qualidade como que plástica e um caráter tridimensional.


In: Alfons Hug. Sonhos Despedaçados. Catálogo do pavilhão brasileiro da 50 Bienal de Veneza.

No site estão disponíveis para downloads várias publicações da artista:
http://www.rosangelarenno.com.br/