Comentário não tão breve sobre Zeitgeist....

Fui recentemente apresentada aos documentários Zeitgeist e Zeitgeist Addendum.
Descobri que ele é livre para download também sem qualquer violação de leis autorais.
Descobri Zeitgeist é um termo alemão cuja tradução significa espírito de época ou espírito do tempo. O Zeitgeist significa, em suma, o conjunto do clima intelectual e cultural do mundo, numa certa época, ou as características genéricas de um determinado período de tempo.O conceito de espírito de época remonta a Johann Gottfried Herder e outros românticos alemães, mas ficou melhor conhecido pela obra de Hegel, Filosofia da História. Em 1769, Herder escreveu uma crítica ao trabalho Genius seculi do filólogo Christian Adolph Klotz, introduzindo a palavra Zeitgeist como uma tradução de genius seculi (Latim: genius - "espírito guardião" e saeculi - "do século").http://pt.wikipedia.org/wiki/ZeitgeistPorque não adianta ver uma coisa sem saber o que ela significa, não é mesmo?

Aliás, descobri também que este filme Zeitgeist Addendum é a continuação de um primeiro Zeitgeist, produzido em 2007, que não pude deixar de ver também.Este primeiro filme é dividido em três partes, a primeira é uma supercrítica à instituição religiosa principalmente o cristianismo, colocando em dúvida a existência de Jesus (ou Yeshua Ben Yossef) sobre a terra. A segunda é um tipo de teoria da conspiração sobre os EUA terem planejado os ataques terroristas de 11/09.E a terceira eu creio que é um prelúdio do próximo filme sobre a outra teoria da conspiração do sistema bancário mundial que como o "cérebro" do desenho Pink e Cérebro: "quer dominar o mundo" e seu interesse no lucro que guerras geram.(Tudo bem que todo mundo tá falando em crise mundial e o HSBC anunciou esta semana que seu lucro foi o maior em toda sua existência!!!)Não podemos esquecer que fazemos parte do sistema da arte e que Andy Warhol (esse sim, o profeta hehe) já vislumbrou muito antes: is money, baby!

Teorias, conjecturas.... como Einstein ensinou, tudo é relativo. Mas não creio que eles tenham "a verdade" como dizem. Mas nos fazem pensar e muito. E isso é muito bom, não é?Assim eu vejo estes filmes como um tipo de "pílula vermelha" do Matrix. É meio sensasionalista, usando de ironia, apontando e acusando culpados, despertando inquietação e dúvida.Mostra coisas inacreditáveis que o ser humano pode fazer por sede de poder, ou seja, um pouco de Hitler e Bush existe em todos nós. Claro que não nas mesmas proporções!Não há como negar isso. Faz parte do ser humano. Temos que aceitar de uma vez por todas que a noite faz parte do dia!
Te mostra realidades as quais você pode acreditar piamente, pode duvidar piamente ou apenas servir como informação.Mas como quem fez o documentário É americano (Peter Joseph, pseudônimo criado a partir de dois nomes bíblicos para James Coyman, de acordo com a Wikipedia, única fonte que fala sobre ele), não nega suas raízes MESMO, eles nos colocam numa situação como: "ou você entra na luta contra o domínio e se torna um de nós (os que têm a verdade), ou você dobra seus joelhos (continua ignorante)"Alguém já ouviu falar na frase: "A ignorância é uma bênção"? Tem gente que gosta disso, os Syphers da vida...... e que mal há?Mas não acredito que seja assim. Não acredito que o filme vá conseguir cumprir com seus propósitos.(Aliás o vídeo está usando a propaganda mais antiga do mundo, a boca-a-boca, para se promover, que é algo que ele mesmo critica, para promover o utópico projeto, num clima quase hipnótico)Quanto à tecnologia realmente acredito que para ela tudo é possível. Mas sempre vai ter alguém que vai usá-la para seu próprio interesse.Acredito que estes tipos de filme te abrem novas maneiras de perceber o mundo ao seu redor mas não muda as pessoas, porque sabemos que no fundo o mundo não muda, o poder não muda, as pessoas não mudam.Lida com crenças e valores muito enraizados de mudanças acredito que quase impossíveis. O comportamento humano é viciado.Nós mudamos. Se tivermos interesse e talvez, um pouco de vontade.É por isso que eu realmente continuo não acreditando numa mudança global.
O segundo filme começa com: "o homem ainda é o mesmo de antes". Não acredito que mesmo que a maioria das pessoas que têm essas informações realmente vão fazer algo a respeito, elas podem se indignar, se revoltar, concordar e podem até tomar certas atitudes individuais, mas não creio que elas irão se juntar num só para se mover contra todo esse poder.Mas acredito que existirão, assim como já existiram antes, pessoas que simplesmente por serem como são, irão tocar outras pessoas (que queiram ser tocadas), com as quais tiverem contato, com suas próprias atitudes e fazer com que se manifeste o outro lado deste ser humano, talvez não chegue a ser um Ghandi, mas pelo menos haverá de alguma forma e por alguns instantes na vida, um equinócio humano na nossa eterna luta entre a luz as trevas.Acredito na mudança individual para quem busca melhoria constante e permanente. Acredito no amor do INDIVÍDUO. Na mudança que ocorre no interior da pessoa.O documentário cita Jimi Hendrix (E isso já foi há algum tempo) : "Quando o poder do amor se sobrepuser ao amor pelo poder, o mundo conhecerá a paz." Esse tipo de amor, incondicional, pra mim não existe.Pra mim, isso está muito, mas muito longe de acontecer, SE acontecer.Não importa se o sistema seja comunista, capitalista, monárquico, ou mesmo projeto Vênus. SEMPRE irão existir pessoas insatisfeitas (pois as pessoas não são perfeitas, a perfeição enjôa, é enfadonha. a insatisfação faz parte da necessidade humana de variedade.)Enquanto houver uma única pessoa na face da terra que continue a sentir os efeitos das reações químicas em seu cérebro e em suas veias na hora em que seu poder (seja da arma, da saliva, das drogas ou da força) se sobrepõe à outra pessoa, o mundo vai continuar assim.Com suas causas e consequências. Têm sido assim por séculos, e isso, ao meu ver, não vai mudar.