Chris Marker


O nome Chris Marker começou a ser conhecido internacionalmente quando ele realizou La Jetée em 1962. Este filme de ficção científica conta a história de uma experiência de viagem no tempo num futuro pós-nuclear. Construído por meio de uma fotomontagem a preto-e-branco acompanhada de narração e efeitos sonoros, este filme foi a inspiração que levou Mamoru Oshii a conceber The Red Spectacles (1987). Foi também a inspiração de Terry Gilliam para Twelve Monkeys (1995).





Até 27 de setembro, o Museu da Imagem e do Som (MIS) apresenta Staring Back. A mostra é composta por 200 fotografias em P&B do fotógrafo, diretor de cinema e escritor francês Chris Marker, que desenvolveu uma linguagem poética única em filmes e documentários. Ao lado de Bill Horrigan, curador da exposição, Marker selecionou de seu arquivo pessoal imagens realizadas entre 1952 e 2006.

A série de fotografias documenta protestos políticos testemunhados pelo fotógrafo, incluindo a marcha ao Pentágono em 1967, contra a guerra do Vietnã; os eventos de maio de 1968 em Paris e as demonstrações tumultuosas contra as políticas trabalhistas propostas pelo governo francês. Também retratam pessoas famosas e desconhecidas que Marker encontrou em suas viagens mundo afora, além de registros de animais. Outras imagens da seleção são de seus filmes clássicos, como La Jetée (1962), Sans Soleil (1983) e Cuba Si!,(1961).

O recorte da mostra, organizado em quatro conjuntos (I Stare 1, I Stare 2, They Stare e The Beast of), gira em torno dos rostos que Marker observou –e daqueles que testemunharam seu olhar observador –além de revelar a curiosidade apaixonada que ele há muito tempo demonstra pela vida das pessoas e de alguns animais.

exposição: até 27 set 2009
Terça - sábado, 12:00 - 19:00
Domingos e feriados, 11:00 - 18:00
1º andar