Rineke Dijkstra





A fotógrafa holandesa Rineke Dijkstra se concentra principalmente em retratos. Ela aborda crianças e jovens em espaços públicos tais como praias, parques e discotecas, resultando em colaborações. Aos modelos é dada a liberdade para escolherem o modo como se desejam expressar, conferindo às fotografias uma emoção e humor que esconde a sua frieza sociológica.
No final dos anos 90, a artista cirou-se para o meio do vídeo. Em The Buzzclub Liverpool, UK/Mysteryworld Zaadam, NL, 1996/97, os jovens foram colocados diante de uma câmera de vídeo estática num estúdio vazio debilmente iluminado. Usando uma variedade de cenários, Dijkstra revela repetidamente a discrepância entre o padrão, uniformidade e identidade individual.
"As fotografias aludem a relação direta entre fotografia e pessoa; Dijkstra a leva a uma perspectiva da distância. Com a seleção das pessoas, busca traduzir um momento especial que guia o olhar. Todas as pessoas - adolescentes, jovens toureiros ou mulheres que acabaram de dar à luz - que fotografa são seres individuais e frágeis, em uma fase de transição, com sua insegurança, ou a roupa ou a pose e sua pele refletem essa situação. Ao empregar uma nova mídia, o vídeo, Dijkstra cria uma imagem dupla: a gravação de vários minutos fixos ante a câmera origina uma certa autenticidade que ao ser contemplada, se transforma em um profundo retrato do comportamento."
In. Art at The Turn of The Millenium. Taschen.